Serviço Gráfico/DF [BRA]

Atualizado em 12/06/2020
Nome Oficial
Associação Atlética Serviço Grafico
Fundação
18/04/1968
Status Atual
Extinto
Endereço
Brasília - Distrito Federal
Brasil  
maps
Retrospecto
Clique aqui para ver todos os campeonatos com participação deste time
Cores
Camisa branca com golas e mangas azuis, calção azul e meias azuis.
Equipe Ranqueada
Serviço Gráfico
Outros Sites

Estádios como mandante (jogos(s) registrado(s))
Histórico
Por muitos conhecida apenas como Gráfica, a AASG foi fundada em 18 de abril de 1968, atendendo a uma convocação feita por Wanderley Moreira Mattos, Lenyr Pereira da Silva e Carlos Franco de Sá Santoro. Nesta data, reuniu-se um grande número de empregados do Serviço Gráfico do Senado Federal com o objetivo de fundar uma associação atlética destinada somente aos empregados do citado serviço e também para incentivar os esportes em geral, a recreação social e promover o congraçamento dos seus associados.
Aproveitando-se do fato de a Federação Desportiva de Brasília promover um supercampeonato brasiliense com 24 clubes em 1969, entre amadores e profissionais, o Serviço Gráfico inscreveu-se no que seria a sua primeira competição oficial no Distrito Federal.
O Serviço Gráfico integrou o Grupo A (com 11 clubes) e ficou com o terceiro lugar, após essa campanha: 10 jogos, 6 vitórias, 2 empates e 2 derrotas; 21 gols a favor e 10 contra. Totalizou 14 pontos ganhos.
Com isso, conseguiu classificar-se para a Segunda Fase, que reuniu os seis primeiros colocados de cada grupo e, ao seu final, apontaria o campeão de 1969.
Ficou com a sétima colocação, com 12 pontos ganhos, junto com Cultural Mariana e Brasília (de Taguatinga).
Mesmo com uma campanha irregular, um de seus jogadores, Eraldo, foi o artilheiro do campeonato, com 11 gols (junto com Paulinho, do CSU).
Começou o ano de 1971 disputando o Torneio Governador do Distrito Federal, contra outras dez equipes. No final, ficou com o vice-campeonato, com 16 pontos ganhos, um a menos que o campeão Jaguar.
No campeonato brasiliense, novamente ficou com a segunda colocação, atrás do Colombo, e à frente de Ceub, Grêmio e Jaguar.
Seu jogador Walmir marcou seis gols e ficou com a segunda colocação entre os artilheiros do campeonato.
Entre os dias 28 de setembro e 1º de outubro de 1971, o Náutico, de Recife (PE), realizou dois jogos em Brasília. No primeiro, empatou com o Ceub em 1 x 1. No segundo, perdeu para o Serviço Gráfico, por 2 x 1, com dois gols de Walmir contra um de Bita.
Finalmente, em 1972, conquistou o tão perseguido título de campeão brasiliense de futebol.
O campeonato foi disputado por sete equipes. O Serviço Gráfico venceu o 1º turno, sem conhecer derrota nos seis jogos que disputou: três vitórias e três empates.
O segundo turno foi conquistado pelo Ceub, da mesma forma, sem perder nenhum jogo.
Ambos qualificaram-se, então para a decisão do campeonato, em melhor de quatro pontos.
No primeiro jogo, em 2 de dezembro de 1972, o Ceub não deu chances ao Serviço Gráfico, vencendo-o por 3 x 0, gols de Dinarte (2) e Marco Antônio.
Uma semana depois, 9 de dezembro de 1972, o Serviço Gráfico devolveu a goleada, vencendo pelo mesmo placar, com dois gols de Walmir e um de Carlos Gomes.
Mais uma semana e aconteceu o terceiro jogo, quando ocorreu empate em 0 x 0, adiando a decisão.
No dia 21 de dezembro de 1972, no Estádio Pelezão, o Serviço Gráfico venceu o Ceub, por 2 x 1, gols de Jairo Bueno e Arthur para o Serviço Gráfico, e Rogério Macedo, para o Ceub. O árbitro do jogo foi Adélio Nogueira Soares. Agora, restava apenas a comemoração pelo título.
Foi aí que começou um festival de recursos junto à Federação Metropolitana de Futebol.
Após o primeiro jogo da decisão, o Serviço Gráfico entrou com um recurso na FMF solicitando os pontos do jogo, baseando-se no fato de que o atleta Marco Antônio, do Ceub, não tinha condições de jogo. Foi constatado que o jogador tinha vínculo com o Fluminense, de Araguari (MG), o que o impossibilitava de participar do campeonato do DF sem a devida transferência.
O Ceub deu o troco, entrando com um recurso contra a utilização pelo Serviço Gráfico dos jogadores Vavá e Carlos Gomes que, segundo o clube universitário, estariam filiados a Federação Fluminense de Futebol.
A FMF recebeu o Ofício nº 2.336, de 02.03.1973, da CBD, comunicando que aplicou aos atletas Marco Antônio Pereira (inscrito pela Federação Mineira de Futebol), Lourival Ribeiro de Carvalho Filho (Vavá) e Carlos Gomes (inscritos pela Federação Fluminense de Desportos), a penalidade de suspensão de 90 dias para cada um, a partir de 7 de fevereiro de 1973.
O TJD da Federação Desportiva de Brasília anulou as partidas realizadas em 2 e 9 de dezembro de 1972, mantendo, entretanto, os resultados das partidas realizadas em 16 de dezembro e 21 de dezembro.
A situação era: Serviço Gráfico, 3 pontos ganhos e Ceub, 1.
Com toda essa confusão o jogo decisivo do campeonato de 1972 só veio a acontecer em 19 de setembro de 1973. Um 0-0 que deu o título ao AASG.
Em 17 de dezembro de 1973 aconteceu a Assembléia Geral na qual a equipe (a pedido) foi desfiliada. Motivo: o Senado Federal acabou com o Depto. de Futebol. Chegou a disputar um turno do campeonato em 73.
Fonte: José Ricardo Almeida (Blog História do Futebol Brasiliense)
Título(s)
Campeonato Brasiliense (1 Título(s))
1972
Presidentes
1968: Lenyr Pereira da Silva
Escudos na linha do tempo
Clique aqui para ver os escudos e sedes usados por este time na linha do tempo